Restam apenas seis Skywriters em tempo integral no mundo

Amor Depois de saber o que acontece, não é nenhuma surpresa.
  • Por quase um século, a escrita do céu encheu o grande azul acima com cartas de amor e persuasão, impulsionadas por aqueles com dinheiro disponível e uma tendência para o óbvio. Mas enquanto para nós são apenas plumas de escrituras brancas fofas, a pressão é grande para o piloto - há basicamente margem de erro zero neste negócio. Cada carta leva cerca de 90 segundos para ser concluída e dura apenas entre três e sete minutos, explica Cristina Jacuzzi, proprietária da firma de escrita aérea americana The Skywriters. Terá mais de um quilômetro de altura, o que significa que qualquer pessoa em um raio de 20 milhas pode vê-lo. A natureza transitória das cartas, combinada com o tempo que leva para escrevê-las, significa que as mensagens só podem ter de três a seis letras, diz Jacuzzi, então é melhor você ser conciso com suas emoções.

    O skywriter também deve escrever a mensagem ao contrário, para que ela reflita corretamente para o público abaixo. É tão tecnicamente preciso que, para os pilotos, não é nada como escrever - é como matemática acrobática. Você tem que ser bom no que faz e sabe exatamente o que você está fazendo, Jacuzzi continua. Nunca é uma tarefa fácil, é por isso que existem apenas seis skywriters no mundo que podem ganhar a vida com isso.

    Wikimedia commons



    O tempo também precisa estar perfeito. Precisamos de céus predominantemente azuis, diz Larry Arken, comandante de esquadrão e líder de vôo da equipe do show aéreo com sede em Nova York, GEICO Skytypers. Temos um limite de vento de 25 nós: qualquer coisa maior do que isso e vai soprar muito mais rápido. E se você cometer um erro? Bem, Arken diz, você tem que começar tudo de novo e torcer para que o erro desvanece rapidamente no azul.

    Desde que os pilotos descobriram que sim, eles vêm escrevendo mensagens para o céu. Acredita-se que a escrita aérea começou na Inglaterra após a Primeira Guerra Mundial, inventada pelo Major John C. Savage, da Royal Airforce. O primeiro uso registrado de skywriting foi em maio de 1922, quando Savage e seu companheiro aviador, Capitão Cyril Turner, se uniram para escrever o Daily Mail. acima da pista de corrida de Epsom Downs como pago pelo jornal britânico.

    Naquele mesmo ano, na Times Square, um piloto escreveu um número de telefone no céu - era de um hotel, e os operadores do estabelecimento foram posteriormente inundados com 40.000 ligações em três horas. A prática então se tornou uma sensação quase imediata: Pepsi, Lucky Strike e Chrysler subiram aos céus para vender seus produtos, com a primeira escrevendo mais de 2.000 anúncios no céu somente em 1940.

    Skywriting funciona misturando óleo de parafina com o calor do escapamento do avião. O líquido fica perto do motor, cerca de 30 galões do material, que pode escrever até cerca de 12 letras. Um interruptor é acionado dentro da aeronave e grossas linhas de fumaça se derramam no céu, perfeitas e brancas contra o azul. Mas, mesmo na infância, as pessoas se preocupavam com os aspectos da saúde; em 1923 O jornal New York Times referido à prática como vandalismo celestial , imaginando um mundo tão poluído pelas plumas que as pessoas seriam forçadas a fechar as janelas indefinidamente. Hoje em dia, garante Jacuzzi, a fumaça é biodegradável e atóxica.

    Quanto ao tipo de mensagem que as pessoas querem deixar pairando no céu, isso raramente muda. Os clientes são em sua maioria homens, diz Jacuzzi, e a maioria está pedindo propostas de casamento ou dizendo a seus parceiros que os amam. Mas há exceções a esta regra, e muitos skywriters não concordam em aceitar certas mensagens. Hoje em dia, para Arken, é qualquer coisa política ou religiosa; para a Jacuzzi, são gestos provocativos, como esboços nus ou palavrões (temos olhos jovens no chão).

    Enquanto há aqueles que usam skywriting como uma forma de transmitir suas grandes emoções felizes, outros pedidos de mensagem são profundamente privados ou desesperadamente tristes. Como aqueles em memória de entes queridos perdidos ou mensagens carregadas de pesar. Uma vez escrevi ‘Pooh bear come home’ para uma garota que havia deixado o namorado, lembra Arken. Nunca descobrimos se ela o fez.

    Enquanto skywriting envolve apenas um avião e uma nuvem constante de fumaça, skytyping é frequentemente considerado uma forma mais eficiente de enviar uma mensagem para o céu. Criada com traços do material branco em vez de um fluxo consistente, cada letra digitada no céu leva apenas cerca de quatro segundos para ser criada - 17 vezes mais rápido do que a escrita no céu tradicional, diz Arken. E a mensagem é produzida por uma frota de aeronaves.

    Skytyping ainda exige uma grande quantidade de experiência, embora seja um tipo um pouco diferente: todos os pilotos skytyper precisam de experiência em vôo em formação, diz Arken, o que geralmente é aprendido por pilotos militares. O vôo em formação acontece quando dois ou mais aviões voam em um padrão organizado e compacto, com um avião designado como líder. É normalmente usado para defesa mútua ou concentração de poder de fogo e, de acordo com Arken, requer muita concentração e precisão para manter os aviões em uma formação de linha lado a lado.

    Todos da equipe de Arken são ex-pilotos militares. Cinco aviões SNJ da Segunda Guerra Mundial compõem sua frota, que já foi usada no início dos anos 1940 como uma aeronave de treinamento militar avançado, projetada para realizar todas as manobras de um avião de combate, mas em velocidades mais lentas. Voando em uma formação compacta, as palavras são geradas por um computador na aeronave líder, que envia sinais de rádio para os outros quatro aviões para criar o que Larry chama de letras de pontos no estilo Matrix. Mas, apesar da velocidade e eficiência do skytyping, não se pode deixar de sentir que o verdadeiro romance permanece no skywriting tradicional. Seja na curva extensa da fonte sobre os traços uniformes do skytyping ou no fato de ser uma arte em extinção.

    Acima de tudo, em um mundo onde estamos constantemente olhando para baixo, escrever no céu (ou digitar) cria um momento em que colocamos nossos olhos coletivamente no céu, testemunhando um breve vislumbre da vulnerabilidade de outra pessoa através do azul. A Jacuzzi, por exemplo, está mais apaixonada do que nunca pelo artesanato. Quando um homem liga e quer fazer 'Feliz 50º aniversário' e me consulta várias vezes porque está tão nervoso quanto o cara que quer escrever 'Quer se casar comigo?', Isso mostra que o amor é um ingrediente tão poderoso para todos.